Skip to content

Feliz Natal!

feliz natalTempo mínimo de leitura: 2m 20 s

Ainda que:

  • não tenha sido no dia 25 de Dezembro (na realidade esta data foi definida posteriormente para “ofuscar” outros eventos do paganismo nesta data);
  • não tenha sido há 2009 anos (no mínimo existiu um erro por parte do monge que definiu o ano em que estamos ao fazer as contas com calendários de impérios diferentes)
  • não tenha existido um burro e uma vaca (estes animais não surgem nos evangelhos canónicos, apenas nos apócrifos, crê-se que como referência ao Antigo Testamento onde se dizia que o Burro e a Vaca reconheceriam o seu Senhor e o povo de Israel não)
  • não tenha existido uma estrela (a astrologia considera que é possível que tenha sido um cometa ou alinhamento de planetas, ainda que não na data que se consideraria correcta)
  • não tenham existido três Reis Magos (na realidade o número e a sua realeza nunca foi certa, apenas as suas ofertas, mas a sua simbologia e imagem quis fazer referência aos vários povos da Terra que vinham adorar o menino)
  • a natividade não tenha ocorrido numa gruta ou estábulo (na altura o mais provável é que o “estábulo” fosse um andar de baixo da casa onde o calor dos animais contribuiria para o aquecimento da casa no andar em cima; e, convenhamos, se José era proveniente da Terra de Belém para lá fazer o recenseamento do Império Romano então também era provável que lá tivesse família)

Assim, ficamos “apenas” com um “simples” nascimento em condições precárias e humildes. Apenas esse facto poderá já ser considerado um miagre tendo em conta o contexto. Milagre acrescido se (como eu) se acreditar que esta é a maior oferta que Deus poderia dar – o Seu Filho. Mas mesmo que não se acredite neste útlimo ponto, é inquestionável o valor e testemunho de amor ao próximo que Jesus veio trazer ao mundo numa época de “cada um por si” (não evoluímos assim tanto neste aspecto). Então, no meu entender, e por muita descontextualização que exista hoje em dia, o que se celebra no Natal, espero eu, é o nascimento de uma ideia de amor. Amor esse que pode ser expresso de tantas formas (generosidade, caridade, empatia, tolerância, etc, etc) e que deveria durar sempre.
Por isso, desejando-te um Feliz Natal, desejo-te sobretudo AMOR, para ti e todos os que te rodeiam, pois se o amor reinar, tudo o resto se resolverá.

E para quem gostar de receber um “Feliz Natal” de forma personalizada e especial, aqui fica uma ideia (graças ao Dr. Pedro Neto):  http://holiday.barackobama.com/

Feliz Natal!

Spread The Love, Share Our Article

Related Posts

Comments

There are 2 comments for this post.

  1. joão December 26, 2009

    fiquei pasmo com este teu “Feliz Natal” despido de pais natais e produções culturais 🙂 muito bom, mesmo! um grande abraço, mike! e tem um excelente 2010, cheio de late coffees e conversas tardias comigo, num tasco aqui perto ou, quiçá, aí por Coimbra .D

    J.

  2. Paula December 29, 2009

    Obrigada Mi… sp a fazer-nos pensar e a levar mais longe… bj

Trackbacks

There are no trackbacks on this entry.

Add a Comment

Required

Required

Optional