Como ser jornalista

Tempo mínimo de leitura: 38 s (+4 min e 55s)

Hoje encontrei um vídeo que achei particularmente interessante.

Chama-se “Manual de Reportagem” e é da autoria do comediante Rafinha Bastos. Trata-se de uma adaptação brasileira do vídeo original “How To Report The News” do jornalista britânico Charlie Brooker.

A ideia é ensinar como fazer (ou mostrar como são feitas) reportagens jornalísticas de TV.

Achei surpreendente como, ao ver este vídeo, me apercebi realmente do quão standardizadas estão as peças que preenchem os nossos jornais…

Seguem os dois vídeos referidos:

Versão Brazileira

Vídeo Original

vídeo descoberto em http://2.0.bloguite.com/video/magma-o-melhor-do-video-online.html

imagem retirada de http://transformada.wordpress.com/2009/04/01/profissao-jornalista/

TED

Tempo mínimo de leitura: 3m 27 s

Utilizando a versão inglesa da wikipedia para fundamentar a maioria do texto, podemos dizer que TED é a abreviatura para Technology, Entertainment e Design ( Tecnologia, Entretenimento, Design). É uma fundação privada sem fins lucrativos nos Estados Unidos que é conhecida sobretudo pela suas conferências, que agora têm decorrido na Europa e Ásia assim como nos Estados Unidos. A TED é dedicada àquilo que diz serem ideias que valem a pena espalhar (ideas worth spreading) (era por isso obrigatória a presença deste tema neste site/blog).

Esta fundação foi criada em 1984 e a sua primeira conferência decorreu em 1990. A ênfase inicial da TED, com um centro de gravidade consistente com o Silicon Valley (local que adquiriu a imagem da materialização do avanço tecnológico), era maioritariamente a Tecnologia e o Design. O seu co-fundador, Richard Saul Wurman, é tido como o criador em 1976 do termo arquitecto da informação. Mas há medida que a popularidade das conferências (TED Talks) aumentaram, também aumentaram os temas abordados. São vários os oradores que proferem estas conferências, estando incluídos neste grupo personalidades de mérito e fama inquestionáveis, como Bill Clinton, Al Gore, Bill Gates, fundadores da Google e vários vencedores de Prémios Nobel.

Desde 2005 até 2009, foram atribuídos anualmente três prémios TED (TED Prizes) no valor de 100 mil dólares para ajudar os vencedores a realizar o seu “desejo para mudar o mundo” (wish to change the world). No entanto, a partir deste ano, só foi seleccionado um vencedor de forma a que a TED possa assegurar a maximização dos seus esforços em realizar o desejo deste.  Cada vencedor revela o seu desejo na conferência anual principal, dentro dos 18 minutos definidos.

Sem base em outros textos, e porque cada vez que me envolvo mais com “o universo TED” parece que há sempre mais para descobrir, salientava apenas 3 aspectos da imensa temática que é a TED:

  • TED Open Translation Project – é um projecto em parceria com o dotsub (site tipo youtube com o propósito específico da legendagem e tradução de vídeos) onde voluntários podem traduzir as conferências TED de forma a continuar a espalhar estas ideias;
  • TEDx – O estilo de conferências TED tem sido tão mobilizador e cativante que a fundação criou uma espécie de franchising, em que permite que uma equipa se possa propor a realizar um evento TED com organização independente num local da sua preferência. A este tipo de eventos chama-se TEDx e em Portugal estes eventos têm-se multiplicado ao longo do ano (TEDx Edges, TEDx Porto, TEDx Lisboa e TEDx Aveiro que descobri agora que vai mesmo acontecer e TEDx Coimbra e TEDx Guimarães que aparentemente ainda não têm divulgação web embora apareçam já na página TEDx). Tive o privilégio de estar presente no TEDx Porto onde, segundo números redondos finais, por cada 15 inscritos foi seleccionado um participante e fui também já aceite como participante para o TEDx Lisboa.
  • TEDMED – À semelhança do evento TED original, surgiu como um novo evento independente mas agora ligado à área da Medicina.

Queria também justificar que esta introdução se deve ao facto de ter a certeza (porque em vez de ver séries vou passar a ver TED talks) que irei colocar aqui várias referências e ligações acerca desta temática, pelo que fica desde já feita a contextualização.

E para terminar, deixo a referência do site que é completamente obrigatório visitar, devido a disponibilizar todas as TED talks oficiais desde 2006 (se não estou em erro) e mais algumas conferências que têm, sem dúvida, ideias que valem a pena espalhar:

www.TED.com

Larva, casulo, Feliz Páscoa, Borboleta

Tempo mínimo de leitura: 3m 00 s

Mais uma vez, aqui está ela, a Páscoa.

Peço desculpa a quem estava à espera de ler algo sobre ovos, coelhos e coisas chocolatosas felizes, mas vou falar de algo mais profundo.

Eu sei que não será algo muito aprazível a muita gente falar de Deus quando não acredita em Deus, mas não se preocupem, Ele acredita em vocês na mesma:)

A Páscoa é a celebração da passagem da escravidão para a liberdade. Já o era na altura dos Judeus, que celebravam (e continuam a celebrar) a Páscoa como lembrança da libertação do Povo de Deus da escravidão no Egipto. Já para os Cristãos, a Páscoa deverá continuar a significar exactamente o mesmo, mas desta vez a passagem para a liberdade é espiritual mais do que física, porque Jesus veio mostrar que há muito mais para além daquilo que é físico e palpável.

Há muitas ideias à volta do conceito de Páscoa que gostaria de abordar, mas hoje vou tentar cingir-me apenas a uma: o estado de hibernação em que o mundo cristão ficou no que toca a esta metamorfose que significa a Páscoa.

Se pensarmos bem, a Páscoa é o momento mais importante para os cristãos, porque se Jesus não tivesse ressuscitado seria “apenas” mais um homem fora-de-série. Mas com a ressurreição existe todo um mistério que é importantíssimo pensar (ainda que não se chegue a lado nenhum de conclusões brilhantes, porque pensar por si só já vale a pena!). É essa alegria da ressurreição que nos faz ser cristãos. Ou pelo menos devia…

Ontem lembrei-me duma analogia que acho que faz algum sentido, ainda que seja muito redutora (se não fosse para simplificar também não valia a pena fazer analogias… ).

Podemos ver a imagem de Jesus como a vida de uma larva com três fases:

  1. Fase de larva – onde temos um homem vivo, alegre, revolucionário, cheio de amor.
  2. Fase de casulo – onde temos Jesus em sofrimento, a ser renegado, a ser crucificado, a agoniar – o expoente máximo de mártir.
  3. Fase de borboleta– onde temos a ressurreição de Jesus, mais uma vez alguém revolucionário, cheio de amor, que continua a ensinar, a alegrar todos aqueles com quem se cruza, mas de uma forma indescritível.

E agora vejamos em que ponto está a Igreja (e leia-se Igreja no seu global, porque felizmente vão existindo excepções). Das três fases possíveis, acho que continuamos presos no casulo… a fase menos interessante de todas no que toca à produtividade do amor para com os outros… O “logótipo” da Igreja é Cristo crucificado/morto quando na realidade o que mais seria apropriado, na minha opinião, seria um Deus Vivo, ressuscitado, cheio de amor para dar mesmo depois de ter sofrido terrivelmente.

Ao fim e ao cabo, a Igreja que temos é reflexo dessa fixação no Cristo crucificado, onde parece que ainda não se descobriu a alegria, o humor, a felicidade, a simplicidade, a humildade, entre tantas outras coisas excelentes que parecem passar ao lado… Até porque ainda por cima, quando falamos de Cristo crucificado o significado dessa morte é totalmente diferente daquilo que a maioria das pessoas pensa – Cristo morreu assim por fidelidade a Deus, não porque Deus quis…Morreu na cruz, porque não deixou a sua fidelidade a Deus mesmo sabendo as atrocidades que o esperavam…A morte de Cristo na cruz  é importante para percebermos o nosso Deus, não porque ele é sádico, mas porque é um Deus de Fidelidade eterna.

Quando vos desejo uma Feliz Páscoa, desejo-vos que se lembrem que Cristo Ressuscitou (ALELUIA!), que tudo é possível a quem acredita e que por mais terrível que uma situação pareça, enquanto houver amor/fé, haverá sempre a real possibilidade de acontecerem milagres, que mais não são do que sinais da existência de Deus, sinais do amor de Deus.

Feliz Páscoa!

imagem retirada do endereço: http://365jackpots.wordpress.com/2008/03/14/passa-uma-borboleta/

Em remodelações

Devido a reestruturação conceptual e de design, o blog está em modificações de momento. As minhas desculpas por tal facto. Tentarei ser o mais breve possível, mas de forma a evitar “a preguiça” de pegar em tudo de uma vez, vou fazendo aos poucos para que não ande a adiar indeterminadamente.

Actualização: Bem, afinal ando mesmo a adiar indeterminadamente… De todas as formas para atingir o objectivo a que me propus quando criei este blog “já só” tenho de escrever sensivelmente um post por dia até dia 24 de Maio (estatisticamente ficaria com um post por semana durante o ano de vida do blog).

Portanto vão visitando para ver uma mudança espectacular ou simplesmente para ver mais do mesmo… O futuro o dirá:P