Em remodelações

Devido a reestruturação conceptual e de design, o blog está em modificações de momento. As minhas desculpas por tal facto. Tentarei ser o mais breve possível, mas de forma a evitar “a preguiça” de pegar em tudo de uma vez, vou fazendo aos poucos para que não ande a adiar indeterminadamente.

Actualização: Bem, afinal ando mesmo a adiar indeterminadamente… De todas as formas para atingir o objectivo a que me propus quando criei este blog “já só” tenho de escrever sensivelmente um post por dia até dia 24 de Maio (estatisticamente ficaria com um post por semana durante o ano de vida do blog).

Portanto vão visitando para ver uma mudança espectacular ou simplesmente para ver mais do mesmo… O futuro o dirá:P

Feliz Natal!

feliz natalTempo mínimo de leitura: 2m 20 s

Ainda que:

  • não tenha sido no dia 25 de Dezembro (na realidade esta data foi definida posteriormente para “ofuscar” outros eventos do paganismo nesta data);
  • não tenha sido há 2009 anos (no mínimo existiu um erro por parte do monge que definiu o ano em que estamos ao fazer as contas com calendários de impérios diferentes)
  • não tenha existido um burro e uma vaca (estes animais não surgem nos evangelhos canónicos, apenas nos apócrifos, crê-se que como referência ao Antigo Testamento onde se dizia que o Burro e a Vaca reconheceriam o seu Senhor e o povo de Israel não)
  • não tenha existido uma estrela (a astrologia considera que é possível que tenha sido um cometa ou alinhamento de planetas, ainda que não na data que se consideraria correcta)
  • Continue reading Feliz Natal!

Aviso ao leitor

Tempo estimado de leitura: 1m 50s

Caríssim@ leitor(a) (intencional ou acidental) servem as seguintes informações para te contextualizar do teor dos textos e ideias que encontrarás neste espaço virtual:

1 – Qualquer opinião ou ideia que eu aqui tente expressar pode ser diferente daquela que tu venhas a interpretar, pelo que, caso alguma questão te escandalize ou te surta qualquer dúvida, sente-te à vontade para entrar em contacto comigo (miguel@farmingideas.org) e tentarmos esclarecer a situação, mesmo que seja para declararmos divergência de ideias.

2 – Um dos objectivos deste espaço é criar algo minimamente organizado e coerente (que utopia…), pelo que, relativamente a comentários, qualquer um que não se refira ao tema tratado não será publicado.

3 – Este espaço será actualizado, pelo menos, uma vez por semana (espero) e estará organizado segundo as seguintes categorias principais para as postagens:

  • Idiotizando – ideias sobre temas aleatórios
  • ideias de Deus – ideias referentes a temas espirituais, religiosos ou ideológicos
  • ideias soltas – ideias referentes a cultura, gostos pessoais, eventos, etc
  • Ideias em sumo – resumos ou críticas de uma obra ou conjunto de informações
  • Ideias reprimidas – ideias que provavelmente irão contra as ideias de um grande número de pessoas
  • Tutoriais – ideias que pretendem elucidar como fazer algo
  • Geral – ideias referentes a este espaço virtual

4 – No que toca a ideias ou palavras mais politicamente incorrectas, tentarei evitá-las. No entanto, se achar que o seu uso transmite melhor as ideias que pretendo expressar, farei uso das mesmas. Este recurso não deve ser visto como um atentado ao pudor propositado, mas como um recurso literário, porque se alguma vez tu lesses “Chiça penico, ora bolas, caramba” de certo que te seria transmitido um sentimento mais próximo do humor do que da revolta ou raiva… E assim sendo, a necessidade desse tipo de recurso acaba por ser bilateral…

5 – Relativamente a direitos de autor e assuntos semelhantes, tentarei, sempre que me possível, citar correctamente as minhas fontes. Nalguns casos, divulgarei ideias e material que não são meus. Contudo, tentarei deixar sempre a possibilidade de pesquisa sobre os autores mencionados e a sua obra. Desta forma, considero que estou a divulgá-los, beneficiando os mesmos e o que julgo serem os seus objectivos.

6 – Qualquer opinião minha é passível de sofrer alterações, já que não considero que eu saiba a “verdade absoluta” sobre nada. Assim, tal como em qualquer post neste espaço, a informação aqui apresentada poderá ser alterada caso considere adequado.

7 – Obrigado por me leres, espero que te seja proveitoso:)

Feliz ano novo!

Tempo min de leitura: 2m 30 s

Existem alturas que nos fazem pensar sobre a nossa vida… donde viemos… onde estamos… onde queremos estar ou chegar, entre muitas outras incógnitas de teor filosófico. Mas julgo que pensamos sobretudo no que podemos mudar para conseguir chegar onde queremos.

Estes momentos podem acontecer mais ou menos vezes, por razões mais complexas como uma reviravolta na vida ou uma situação que não estávamos a contar ou simplesmente por um aniversário ou um fim/início de ano escolar ou civil (o que também acaba por se aplicar aos aniversários, uma vez que estes são também fins/inícios de anos de contagem sobre um evento em particular).

Na maioria dos casos são momentos que, por um curto período de tempo, nos relembram a efemeridade do próprio tempo. Que nos relembram que não vamos viver para sempre e que o tempo corre, mesmo que não nos apercebamos disso continuamente (ainda que nos possamos lembrar disso constantemente). São lembretes automáticos, e algumas vezes aleatórios, à nossa vontade de atingir/ser algo que ainda não atingimos/somos (porque há sempre um local melhor onde chegar, dentro ou fora de nós, ainda que possamos não o conseguir definir).

É nestes momentos que simplificamos as coisas ao ponto de ter a coragem de resumir em algumas palavras ou objectivos as nossas metas de vida (ou de um período desta). Alguns de nós, chegamos mesmo a ter a audácia de nos iludir com a ideia de que a partir daquele dia programado tudo irá ser diferente.

A expressão em português que mais me ocorre neste momento serão os desejos de ano novo. Clássico exemplo de uma altura que muita gente espera chegar, e até com algum entusiasmo, pois será a partir desse acontecimento que a sua vida irá mudar. Será de um dia para o outro que tudo se tornará melhor; Será de uma hora para a outra que a vida nos vai sorrir; Será de um minuto para o outro que vamos fazer tudo bem; Será de um segundo para o outro que vamos mudar para (quase) sempre…

Não admira que seja mudança de pouca dura na maioria dos casos… Apesar de achar possível a mudança radical e abrupta, não considero que seja comum esta ser planeada. Acho que uma mudança radical e abrupta acontece, não se planifica. Então, uma mudança planificada está destinada ao fracasso? Claro que não! Pelo menos, não como regra. Mas para ser planeada (portanto, sem um motor suficientemente forte para causar uma mudança radical e abrupta) a mudança deve ser faseada e progressiva de forma a ser sustentada.

E é com este tipo de mudança faseada, progressiva e sustentada que, de alguma forma, começo este espaço. Como uma forma de afirmação da possibilidade da minha mudança, da mudança de uma vida sem grande controlo consciente do meu tempo e do meu tempo “livre”. Começo este espaço com a ideia, entre muitas outras que irei explorar com o tempo, de me monitorizar a fim de controlar a minha gestão de tempo. Espero que a minha mudança seja tal que, pelo menos, consiga aplicar algum do meu tempo livre para este espaço uma vez por semana…

O começo de uma possível mudança foi dado, uma nova fase temporal começou. Será um ano?… Um mês? … Um dia? No mínimo, foi atingida uma ilusão de sucesso. Por isso, para mim e para todos aqueles que anseiam a mudança dependente de si próprios, desejos de um Feliz Ano Novo!

imagem de: http://encontrei.wordpress.com/2009/01/01/